"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor."

Amyr Klink

quinta-feira, 3 de abril de 2014

URUBICI E SERRA DO RIO DO RASTRO, DEZEMBRO DE 2013, 3º DIA

3º dia, terça feira, 17 dez 13


   Terça feira, dia de voltar para casa. O ultimo dia de nossa viagem amanheceu com tempo muito bom, céu claro e sem nuvens.
   O roteiro original do dia era deixar São Joaquim e seguir até São José dos Ausentes, cruzando a divisa dos estados de SC e RS por estradas não pavimentadas atravessando a região dos Campos de Cima da Serra, para depois seguirmos em frente até Cambara do Sul, São Francisco de Paula e Canoas, nosso destino final.

   Após um café da manhã simples deixarmos o hotel, fizemos algumas fotos da bonita igreja matriz de São Joaquim e pegamos a estrada. O tempo estava tão limpo e claro que decidimos arriscar e voltamos à Serra do Rio do Rastro na esperança de ver alguma coisa, afinal são apenas 55 km de estrada, quase nada para quem veio de tão longe.

A bonita igreja matriz de São Joaquim

   Apesar do tempo bom, temperatura amena e céu claro, ao nos aproximarmos do mirante da Serra do Rio do Rastro, novamente encontramos tudo encoberto por uma espessa neblina que não permitia ver nada.  Ok, valeu a tentativa.........sempre vale.

   Retornamos então em direção a São Joaquim até a pequena cidade de Bom Jardim da Serra, onde deixamos o asfalto para trás seguindo agora por estradinhas secundárias de terra e muita pedra em direção à divisa com o estado do RS e São José dos Ausentes.

Em direção ao RS

   De Bom Jardim da Serra à sede de Ausentes são 85 km de estradinhas sem pavimentação onde a media horária nunca é superior a 40 km/h. Por outro lado, mesmo que a estrada fosse asfaltada, não valeria a pena correr mais sob pena de perdermos detalhes das belas paisagens de campos e plantações de maçã.

Paisagens entre Bom Jardim da Serra e Ausentes


A colheita da maçã está se aproximando...

   Após percorrermos uns 30 km a estrada começa a descer em direção ao “passo” onde está localizada a ponte que faz a ligação entre os estados catarinense e gaúcho. E que ponte !


Exatamente sobre a fronteira geográfica entre SC e RS

   O estado de conservação da ponte não deixa duvidas de que estamos no coração de uma região esparsamente habitada onde o transito de automóveis e caminhões também é pouco comum. Obviamente paramos para registrar o momento e a paisagem, e ao cruzarmos para a outra margem do rio, estávamos novamente em solo gaúcho.

De volta ao RS !

   Seguindo em direção a Ausentes, passamos em frente à estrada que dá acesso à Pousada Fazenda Montenegro, onde está localizado o cânion do Montenegro. E já que estávamos ali, por que não tentar uma visita não programada ao cânion ?

 A partir da estrada que leva à sede da pousada o visitante segue por 3 km em uma estradinha bem agressiva e difícil para quem está com carro de passeio, mas perfeita para quem está de 4x4, cruzando por várias porteiras, atravessando alguns córregos para finalmente chegar próximo à borda do cânion.

Sede da Pousada Fazenda Montenegro

 E chegando mais próximo do cânion, desta vez sem surpresa constatamos que não conseguiríamos ver nada, pois a já conhecida neblina encobria completamente o cânion e os campos junto a sua borda. Mesmo assim, descemos do carro e caminhamos pelos campos, cuidando para não perder a orientação do caminho de volta ao carro em meio à neblina intensa, até chegarmos à borda do cânion.


Estradinha de acesso ao cânion do Montenegro. Ao fundo, a neblina que encobriu tudo e impossibilitou qualquer vista do cânion.

   Incrivelmente, na sede da Fazenda Montenegro, que fica a apenas uns 2 km do cânion, o céu era limpo e azul. Definitivamente visitar a região dos cânions durante os meses de verão é uma loteria, onde as chances de “vitoria” são bem pequenas.

   Retornando à estrada que leva a Ausentes, passamos pela pequena e abandonada vila do Silveira para no inicio da tarde finalmente chegarmos à sede de São José dos Ausentes, onde aproveitamos para fazer um merecido lanche e descansar um pouco antes de seguirmos viagem até Cambara do Sul. A distância de São José dos Ausentes a Canoas, nosso destino final, é de 240 km.

   O trecho entre Ausentes e Cambará do Sul é um velho conhecido meu. São 50 km de estrada de terra e muitas pedras. Um pequeno trecho de aproximadamente 10 km entre Cambara e a vila de Osvaldo Kroeff está asfaltado, porém no restante do trajeto, as muitas pedras e buracos ditam a velocidade da viagem. Menos mal que a paisagem única da região compensa qualquer esforço e no final das contas, mais uma vez agradecemos por a estrada nos forçar a andar mais devagar e nos oportunizar curtir em detalhes as paisagens dos Campos de Cima da Serra.

Na estrada, em algum lugar nos Campos de Cima da Serra

   Passamos direto por Cambará, afinal já conhecíamos bastante bem a pequena cidade que ademais não oferece nenhum atrativo turístico especial que não seja seus cânions, distantes da sede da cidade. Seguimos pela RS-020, agora asfaltada e em bom estado de conservação, até a localidade de Tainhas, onde paramos para descansar e tomar um saboroso café no tradicional Café Tainhas, ponto de parada obrigatório de todas nossas viagens à região.

   Voltando à estrada, seguimos até São Francisco de Paula, onde não podemos deixar de fazer uma visita rápida ao Lago São Bernardo.


Nosso valente companheiro de viagem, descansando junto ao Lago São Bernardo

   De São Chico em diante, estrada e estrada até Canoas, nosso destino final, onde chegamos no finalzinho da tarde.
   No total, rodamos em torno de 1.050 km nos três dias de nossa viagem. Visitamos uma das regiões mais bonitas do Brasil, vimos e fotografamos muita coisa bonita, serra, montanha, cascatas, cânions. Também vimos muita neblina, mas acima de tudo nos divertimos muito neste roteiro prá lá de interessante e que espero possamos repetir diversas vezes.


3 comentários:

  1. Graaande Arlei, viajei junto contigo, como você bem sabe já passei por quase todas essas estradas, são lindas, merecem que se rode por elas bem devagar. Parabéns pela viagem, o piá deve ter adorado!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oi Arlei, pretendo conhecer a região sul e gostaria de saber se há estrada pavimentada em em boas condições de Cambara do Sul a Serra do Rio do Rastro e qual é a distância.

    ResponderExcluir
  3. Olá ! Não, infelizmente (ou não........rsrsrrs) não existe estrada pavimentada entre Cambará e a Serra do Rio do Rastro. A ligação é feita via São José dos Ausentes e Bom Jardim da Serra, por estradas de terra e bastante pedra, então se este tipo de estrada é um problema para vc, evite...
    A opção (fazendo uma volta enoooooorme) é descer a Serra do Rio do Rastro em direção a Criciúma em SC, então seguir na direção sul pela BR-101 até Terra de Areia no RS, onde você novamente pode subir a serra pela estrada 'Rota do Sol', até a localidade de Tainhas, de onde segue então pela RS-020 até Cambará do Sul. Este caminho sim é completamente asfaltado e em boas condições, tranquilo de fazer com qualquer tipo de veículo.
    Boa viagem !

    ResponderExcluir